6 de abr de 2009

Moradores de Ratones vão
protestar na frente da Celesc

Manifestação do último sábado. Foto: Flávio de Mori.

Os moradores de Ratones realizam nessa terça-feira (7.4), às 11 horas, uma manifestação em frente a sede da Celesc, no bairro do Itacorubi, contra a implantação de uma rede de energia de alta tensão sobre o bairro e região. No último sábado houve um protesto no trevo de acesso a Ratones, junto a SC-401, onde foram fixadas dezenas de cruzes. A iniciativa é encabeçada pela Associação de Moradores de Ratones (Amora), que encaminhou ao Sambaqui na rede o material abaixo.

"A manifestação da dona Maria é a expressão verdadeira de uma moradora nativa do Ratones e que traduz o sentimento de tantos atingidos direta e indiretamente pelo traçado de uma nova linha de energia elétrica de alta tensão que a Celesc quer impor às comunidades do Ratones, Vargem Pequena e Sol Nascente.

O drama da Dona Maria é o drama de muitas famílias. Os moradores do Ratones, através de sua associação (Amora), vêm lutando para garantir os direitos da nossa comunidade. A revitalização e desassoreamento do rio Ratones e afluentes; a construção da nova escola e ampliação da creche; mais segurança para o distrito; calçamento e asfalto; a construção da sede da associação com espaços para prática de esportes, áreas de lazer para as crianças, espaços culturais e centro de capacitação profissional; a elaboração do novo plano diretor de Florianópolis e a luta pela mudança de traçado da nova linha de transmissão são algumas das ações que estão sendo realizadas.

Moramos num lugar bonito e que queremos manter a nossa qualidade de vida. A instalação desta rede de alta tensão no traçado proposto pela Celesc ameaça a saúde e a vida de crianças, jovens, idosos e adultos que aqui moram. A ameaça vem pelo risco decorrente dos campos eletromagnéticos que aumentam a incidência de câncer (leucemia) infantil, tumores cerebrais em adultos, abortos espontâneos, dentre outros malefícios.

Além disso, o risco de acidentes decorrente do rompimento de cabos e queda de torres é ampliado pelo tamanho e pela capacidade da rede que é seis vezes mais potente do que a atual.

Queremos energia sim; para o Norte da Ilha e para a nossa comunidade. Mas sem que, com isso, precisemos arcar com um ônus tão alto e é por isso que estamos batalhando para que a linha passe pelo morro onde não é possível construir, assim as pessoas não serão prejudicadas, reduzindo os riscos de doenças e acidentes.

Amigo morador junte-se a nós nesta luta. Como disse a dona Maria na sua carta, “se lutarmos juntos, nós venceremos”, sua participação e apoio são muito importantes [...]. Assinam: Moradores do distrito Ratones atingidos direta e indiretamente pela nova linha de transmissão que a Celesc quer construir e Associação de Moradores de Ratones - Amora".



As mulheres na luta pelo saneamento

"Bom dia a todos e a todas. Em meu nome em nome da Amaquai gostaria de agradecer ao apoio recebido de todos nessa nossa luta em favor de um saneamento básico decente para nosso município. Entendemos que ele tem que ser participativo, com projetos apresentados a comunidade e que contribuam com a preservação e não com a degradação. Gostaria de convidar a todos a participarem da nossa reunião, dia 7 de abril, às 19 horas, no Centro Comunitário do Rio Tavares, ao lado do Tirio.
Um abraço,
Ione Ramos, presidente da Associação de Mulheres Aquicultoras e Ambientalistas da Ilha - Amaquai (Ribeirão da Ilha)".




Após o adiamento do julgamento do recurso contra o diploma pelo Superior Tribunal Federal (STF), os jornalistas brasileiros comemoram amanhã, 7 de abril, o seu dia. Em Santa Catarina, a categoria realiza manifestações, debates e festas em várias cidades. Os jornalistas da Capital reúnem-se quinta-feira (9.4), no bar Cachaçaria da Ilha (Centro), a partir das 19 horas. O encontro servirá para informar a categoria sobre o processo no STF.


Nenhum comentário:

Postar um comentário