19 de abr de 2009

Atenção Banco do Brasil
Prédio cedido em comodato
vai ser usado para outro fim



O prédio onde funciona o Arquivo Municipal de Florianópolis, na esquina da rua Tiradentes com praça 15 de Novembro, vai abrigar o novo órgão previdenciário dos servidores municipais. O mobiliário já começou a ser colocado nos lugares e o acervo da memória da cidade amontoado nos cantos. O setor de protocolo da Prefeitura pode ser instalado no local. Mas é possível que a iniciativa seja vetada, pois o imóvel que abrigou a primeira unidade do Banco do Brasil em Florianópolis foi cedido em comodato ao município para abrigar um centro cultural.

O termo foi assinado em dezembro de 1998. O Banco do Brasil só aceitou o comodato depois de aprovar o projeto para o espaço: na parte de cima a Galeria de Arte Meyer Filho e na de baixo o espaço Maestro Helio Teixeira da Rosa, ambos ex-funcionários do estabelecimento, entre outras atividades. Na época, por uma série de motivos, o imóvel acabou abrigando o Arquivo Histórico. Como a destinação final (cultura) não fora alterada substancialmente, a Prefeitura continuou usando o local, bem diferente do que está começando a acontecer.

Agora é bem possível que o Banco do Brasil resolva desfazer o comodato e retomar o patrimonio por uso indevido. Duvidam? Perguntem os detalhes à professora Lélia Nunes, superintendente da Fundação Fraklin Cascaes na época. A edificação é um exemplar perfeito do Art Déco - um movimento internacional de design (c. 1925-1939), com reflexos nas artes decorativas, arquitetura, design interior e desenho industrial, nas artes visuais, na moda, na pintura, nas artes gráficas e no cinema. É muito mais do que apenas um bem imóvel.

Nenhum comentário:

Postar um comentário