16 de jan de 2009

Imagens do Pontal de Jurerê, ex-Daniela

Óleo sobre tela de Elias Andrade (Índio).
"Do tempo em que eu pescava no Pontal".

Pontal de Jurerê no lugar de Daniela. A troca foi aprovada em assembléia geral do então Conselho Comunitário da Daniela - atual Conselho Comunitário Pontal do Jurerê. "Na verdade é um retorno à origem do topônimo Pontal do Jurerê e não simplesmente uma troca", esclarece o presidente da entidade Rogério Queiroz.

"Temos recebido manifestações favoráveis de moradores, aplaudindo esta medida e, por esta razão, solicitamos que divulgue esta alteração da localidade, em suas correspondências e na elaboração de cadastro comercial, bancário e outros, visando dar uma maior visibilidade a esta medida", destaca Rogério.

Fiquei curioso e recorri ao Dicionário Histórico e Geográfico do Estado de Santa Catarina (vol 3), organizado por José Arthur Boiteux (Florianópolis: Imprensa Oficial do Estado, 1940). Diz na página 140 (mantida a ortografia):
"Pontal - Lingua de areia núa, na costa da Ilha de S. Catharina, com a extensão de um kilom. a qual se estende da Ponta grossa, na direcção da ilha Raton-grande. É formada pelo estuario do rio Ratones e o choque ininterrupto da vagas da barra". E mais abaixo: "Pontal dos Ratones - Vasto cabedelo que contorna o rio dos Ratones pelo N., em direção á ilha Raton-grande".

Também consultei a Virgílio Várzea - Santa Catarina: a Ilha (Florianópolis: Editora Lunardelli, 1985), terceira edição, escrito em 1900. No capítulo referente a "Ponta Grossa", diz no final: "Daí para o sul, na direção do Raton Grande, estende-se, com a estranha conformação de um gigantesco braço encurvado, a língua de areia nua do Pontal, formada pelo estuário do rio Ratones e o choque ininterrupto das vagas da barra, tendo a extensão de um quilometro". (p. 105)

As fotos abaixo foram feitas hoje (16.1) entre 10 e 12 horas, sendo a última dirigida a Comcap.


Gabriel Grando Alves.





O barco não respeitou a faixa exclusiva dos banhistas,
demarcada com bóias de cor amarela.
Fez o percursso até as imediações da praia
do Forte e retornou por dentro da área
restrita sem ser importunado por ninguém.











ATENÇÃO COMCAP

Os plásticos se alojam nos antigos
troncos de árvores engolidos pelo mar.

3 comentários:

  1. Chama os biólogos, num é um novo tipo de vegetação?

    ResponderExcluir
  2. Demais as fotos. Ainda mais nesse paraíso.

    ResponderExcluir
  3. Nunca chamarei a velha Daniela que curti na minha infância/adolescência, vai ser chamada Pontal do jurerê...Para mim e para muitos será sempre Daniela. Esse golpe é para favorecer especulação imobiliária...

    ResponderExcluir